Operação Delta Fake apura fraudes contra o Detran e envolve olimpiense

Uma pessoa de Olímpia representante de uma auto escola (o caso estaria sob segredo de justiça) está entre os 13 presos pela polícia civil nas cidades de Barretos, Bebedouro, Colina, Colômbia, Guaíra, Jaborandi e Olímpia nesta segunda-feira, 19.

Eles são acusados de participar de um grande esquema de fraude na emissão de CNH para motoristas profissionais. No grupo que foi parar na cadeia em regime de prisão temporária estão três funcionários do Detran e dez representantes de auto escolas das sete cidades, dentre os quais o de Olímpia.

O delegado João Osinski Junior, do Deinter de Ribeirão Preto, disse que a fraude foi descoberta a partir de denúncia recebida pelo delegado Mário José, de Bebedouro, há seis meses, sobre a existência do esquema de fraude na região para conseguir a CNH especial nas categorias D e E, obrigatórias para motoristas de ônibus e de caminhões de dois reboques, mais utilizados no transporte de cana-de-açúcar e de combustível.

“Foram presos três funcionários do Detran e mais quatro foram levados em condução coercitiva para prestar depoimento. O restante dos presos são despachantes e donos de auto escolas suspeitos de integrar o esquema”, disse Osinski.

Pelo esquema, auto escolas ofereciam garantia de aprovação na prova prática, mediante pagamento de até R$ 5 mil em propina, dividida com o funcionário do Detran. No dia do exame, o mesmo servidor, escalado para avaliação, recebia a lista de candidatos que pagaram o suborno e faziam vistas grossas aos erros deles.

O esquema tenta burlar o processo para obter a carteira de motorista profissional, de letras D e E. O candidato precisa ter CNH comum há 12 meses e passar por uma prova prática mais rígida em veículos como van, ônibus e caminhões.

O promotor de Justiça José Guilherme Silva Augusto, de Bebedouro, afirma, que, por enquanto, não dá para calcular a quantidade de CNH fraudadas.

“As pessoas, entre acusados e denunciantes, ainda estão sendo ouvidas em depoimento e somente depois disso a polícia poderá dimensionar o tamanho da fraude”, diz o promotor.

Também foram cumpridos 54 mandados de busca e apreensão de documentos, celulares e computadores nas sedes regionais do Detran e nas auto escolas investigadas.

As 13 pessoas detidas pela polícia vão ficar na cadeia de Bebedouro para que não prejudiquem o andamento das investigações e nem intimidem denunciantes da fraude.

A operação, chamada de Delta Fake, envolveu 100 policiais das delegacias seccionais de São Joaquim da Barra, Barretos, Sertãozinho, Franca, São Carlos, Araraquara e Ribeirão Preto. Toda investigação está sendo acompanhada pelo Ministério Público.

Outro lado

Por meio de nota, o Detran (Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran-SP) informa que sete servidores do órgão foram levados para prestar esclarecimentos, assim como funcionários de auto escolas, durante operação policial.

O Detran diz que está colaborando com a investigação e adianta que se forem comprovadas as irregularidades, os servidores poderão ser exonerados e as auto escolas envolvidas poderão ser descredenciadas.

iFolha

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: